Cuidado! A “SUA” inflação e a preservação do seu patrimônio.

Cuidado! A “SUA” inflação e a preservação do seu patrimônio.

(Cada pessoa tem a “sua inflação”)

 

                Falando em termos básicos, a inflação consome o poder de compra do nosso patrimônio. Há uma noção generalizada, portanto, de que é importante ganhar de rendimento a própria inflação, digamos 3% ao ano, MAIS alguma coisa. Esta “alguma coisa” que supera a inflação denomina-se juro real.

                Após conceituar a inflação e os juros reais, vamos tratar aqui, com mais detalhes, a “inflação” e a “sua inflação”. A inflação aqui analisada é dada pelo IPCA, que é o índicemais utilizado na vida dos cidadãos, e que, inclusive, corrige os títulos públicos federais acessíveis através do tesouro direto.

O IPCA é uma cesta teórica de consumo, que mede a variação de preços em algumas capitais do Brasil, considerando a cesta de consumo de famílias que ganham entre R$ 937,00 e R$ 37.500,00. Isto mesmo, de 1 a 40 salários mínimos, o que por si já representa uma grande incongruência. O objetivo não é criticar a métrica do IPCA, mas mostrar o quão discrepante pode ser a “sua inflação” de uma inflação medida por este índice.

                A título ilustrativo, vamos mencionar dois fatos. Quem ganha R$ 937,00 por mês provavelmente não contrata educação privada para os filhos ou mesmo um plano de saúde. Logo, a cesta desta pessoa é muito menos impactada pela variação de preços destes dois serviços (educação e plano de saúde). Já no caso de os alimentos subirem muito, quem recebe R$ 937,00 será mais impactado, pois uma maior parte de sua renda é utilizada para compra de alimentos. Percebem?

                Bom, agora que sabemos como e porque cada família/indivíduo tem a “sua inflação”, vamos aos dados. A inflação medida pelo IPCA de Jan/2017 a Dez/2017 está estimada em 3,09%, segundo o boletim do Banco Central publicado no dia 20/11/2017.

Ora, se a inflação estimada para o ano de 2017 fica na casa dos 3%, alguém conseguiria me explicar como houve evolução dos seguintes preços:

O meu plano de saúde variou 13,5%. A minha conta de luz subiu 18%. Pelas minhas contas a gasolina subiu de R$ 3,08 o litro para R$ 3,99, quase 30%. Para quem tem filho(s) em idade escolar, me contem quanto vai subir a mensalidade para 2018!?

                Agora, diante de tudo isto, para quem já tem a cultura de investir em papéis/títulos que pagam a inflação (IPCA) mais “alguma coisa”, CUIDADO! Este pretenso conforto de estar tendo ganho real efetivo pode ser uma inverdade.

                Se você tem um título comprado através do tesouro direto que te paga IPCA + 5%, lembre que você pagará imposto de renda. Como mero exercício, o IPCA sendo  3% e o “alguma coisa” sendo 5%, terás 8%, deduzindo-se os 15% de imposto de renda a remuneração líquida cai para 6,8% ao ano.

                Assim, se a sua cesta de consumo ou a de sua família, ao invés da cesta teórica e bastante ampla medida pelo governo, tiver variado, por exemplo, 7%, você PERDEU O EFETIVO poder de compra de seus investimentos.

 

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *